Simpósios Temáticos

ST 01 - História, justiça e patrimônio cultural no Brasil

Coordenadoras: Prof.ª M.Sc. Magda Nazaré Pereira da Costa (FAHIST/UFPA) e Prof.ª Dr.ª Ana Paula Vieira e Souza (FACED/PPLSA/UFPA)

Local: Sala de Videoconferência (Bloco I, 1º andar)

Ementa: A proposta deste Simpósio Temático é reunir trabalhos que tenham na documentação do Poder Judiciário ou em outros acervos arquivísticos, enquanto patrimônio cultural, seus principais loci ou fontes de pesquisa. O ST propõe-se a congregar pesquisadores/as de diferentes áreas para trocar experiências de pesquisa e fortalecer os debates envolvendo Arquivos e Patrimônio Cultural, dando continuidade aos diálogos realizados no ST "Arquivos do Poder Judiciário", ocorrido durante a 2ª edição da Semana Nacional de Arquivos em Bragança, em 2018.

Conforme argumenta Arlette Farge, a pesquisa em acervos do judiciário descortina uma miríade de sujeitos aparentemente desconexos e anônimos, que entram em cena momentaneamente para denunciar e desvelar certos aspectos cotidianos vivenciados na cidade, bem como em zonas rurais, que não se enquadram nas condutas e/ou nas moralidades dominantes, e desejáveis. Os processos trazem à tona padrões de comportamento e valores sociais de uma determinada temporalidade, que se encontram explícitos, e igualmente implícitos, nos discursos dos agentes de poder e nas falas dos sujeitos arrolados. Nas tramas da justiça, a população comum salta dos substratos marginalizados, onde a inferioridade e a passividade lhes são inadvertidamente inertes, para ocupar um locus de agencia que se aproxima, de forma mais verosímil, de suas vivências sociais.

Nesta perspectiva, temas relativos à história e à memória das instituições judiciárias, suas estruturas de poder, sua relação com a sociedade ou que analisem o perfil e a relevância de seus acervos, são considerados pertinentes para o debate. Assim como também aqueles que historiograficamente fazem do crime, da criminalidade, da violência ou das demais questões envolvendo a polícia e a justiça seu objeto de estudo; além de reflexões sobre a utilização das fontes do poder judiciário no Ensino de História. Também serão aceitos trabalhos que versem sobre a constituição e organização de arquivos, a gestão da informação arquivística e sua disseminação na sociedade e as políticas de salvaguarda de documentos, enquanto patrimônio cultural; ou ainda que tematizem sobre as mulheres e as infâncias e juventude em diferentes contextos históricos e socioespaciais, analisando as representações construídas sobre estes segmentos e suas práticas e experiências que colocam em cheque os discursos hegemônicos e normatizadores a estes imputados.

Palavras-chave: História; Sociedade; Poder judiciário; Arquivos; Patrimônio.

TRABALHOS ACEITOS E ORDEM DE APRESENTAÇÃO

  1. Correições e Devassas: os bacharéis do rei percorrendo vilas e povoações pela capitania do Pará | Stephanie Lopes do Vale (PPHIST/UFPA)

  2. Crianças escravizadas: alforria por meio do Fundo de Emancipação da Escravidão na Amazônia Bragantina (1876)Ketno Lucas Santiago (PPLSA/UFPA) e Ana Paula Vieira e Souza (UFPA)

  3. Presos cabanos descumprindo termos impostos pela anistia: o caso de Romualdo Pedro dos Prazeres | João Victor da Silva Furtado (PPHIST/UFPA)

  4. Arquivo Histórico da Comarca de Bragança: preservação documental e a salvaguarda da memória histórica | Filipe de Sousa Miranda (UFPA)

  5. Preservação Digital: acesso e democratização da informação a partir da organização do arquivo Histórico do Judiciário de Bragança/PA | Marcos Fogaça Vieira (UFPA)

  6. O julgo do amor: cartas, promessas de casamento e defloramento na cidade de Bragança - Pará (1917-1922) | Leidiane Do Socorro Melo Rodrigues (UFPA)

  7. A honra feminina no banco dos réus: uma análise sobre processos crimes de defloramento vem Bragança-PA | Victor Luiz Damasceno (SEDUC-PA)

  8. Violência e constrangimento: controle do corpo feminino a partir da análise do Auto de Corpo de Delito, Bragança-PA (1904 a 1918) | Roberto da Silva Fraz (UFPA)

  9. A Justiça e suas concepções: uma análise dos processos crimes de 1920 a 1930 | Illa Maria da Silva Miranda (UFPA)

  10. Entre a Toga e a Ciência: uma análise dos autos de exame de corpo de delito dos processos crimes da Comarca de Bragança na primeira República | Magda Nazaré Pereira da Costa (UFPA)

  11. Nas teias do proibicionismo: o papel da medicina na política proibicionista contra as drogas em Belém (1900-1945) | Amilcar de Souza Martins Sobrinho (SEDUC-PA)

  12. Interface entre História, Justiça e Direitos Humanos em tempos de Ditadura: análises sobre a trajetória política e social de Iza Cunha | Sandra Regina Alves Teixeira (SEDUC-PA e ESMAC)

  13. "Senhores das ruas?": as políticas públicas de repreensão e vigilância da criminalidade das 'gangues' em Bragança - Pará (1990-2000) | Bianca Caroline dos Santos Soares (UFPA)


ST 02 - Memória, saberes e práticas culturais: sujeitos e histórias entre florestas, cidades e sertões

Coordenadores: Prof. Dr. Érico Silva Alves Muniz (FAHIST/PPLSA/UFPA) e Prof. Dr. Luis Júnior Costa Saraiva (FACED/PPLSA/UFPA)

Local: Sala do PPLSA (sala 04, Bloco II, térreo)

Ementa: O simpósio pretende reunir pesquisas concluídas ou em andamento que analisem questões envolvendo as narrativas orais e os saberes populares e tradicionais, os aspectos culturais e as formas de sociabilidade de grupos em distintos contextos espaciais e as representações da realidade social nas artes e nos meios de comunicação (pinturas, músicas, peças teatrais, propagandas, filmes, programas de televisão ou rádio, etc.), tecendo as conexões entre o global, o nacional e o local. O objetivo é refletir e problematizar as construções históricas de memórias e identidades, mediadas pela cultura, nas arenas de disputa entre os atores sociais, revelando tensões, negociações e contradições.

A proposição é redimensionar a História Oficial a partir das dinâmicas locais e suas manifestações contra-hegemônicas, que são tencionadas por pretensões internas e externas norteadas pelas ideias de integração socioeconômica, desenvolvimento técnico-científico e homogeneidade cultural. Serão aceitos estudos e reflexões desenvolvidos a partir de abordagens teórico-metodológicas oriundas dos campos da História, Antropologia, Educação, Sociologia, Agroecologia, entre outras áreas disciplinares, que versem sobre os sujeitos e suas práticas, conhecimentos, sensibilidades, princípios e valores culturais no âmbito da vida social em espaços urbanos - centros e periferias -, rurais ou em outros ambientes de manejo e ocupação humana como florestas, manguezais, ilhas, etc.

Assim, visamos congregar trabalhos que tematizem sobre memória, oralidade e transmissão de conhecimentos; culturas alimentares locais, técnicas de produção e manejo sustentável; economia, abastecimento e alimentação entre o rural e o urbano; debates científicos e políticas públicas de saúde e assistência alimentar; ervas medicinais, práticas de cura e saberes terapêuticos tradicionais; festas e manifestações populares: performances, saberes e fazeres; teatros, cinemas e museus: espaços entre o social, o cultural e o político; conflitos e mediações entre o erudito e o popular; meios de comunicação: linguagem, produção e circulação cultural. Também serão bem-vindas pesquisas sobre história e memória da ditadura civil-militar no Brasil; grandes projetos de integração regional e os impactos socioculturais locais; memórias e culturas de migrantes e imigrantes; patrimônio cultural material e imaterial: diversidade, sentidos e políticas públicas; imagens, narrativas e gêneros textuais: interfaces entre história, memória e literatura; linguagens, saberes e memórias no Ensino de História.

Palavras-chave: Relações culturais; Saberes e práticas; Espaços sociais; Histórias; Lugares de memória.


TRABALHOS ACEITOS E ORDEM DE APRESENTAÇÃO

  1. "Vadiando" no sertão: a missão de pesquisas folclóricas e o Bumba Meu Boi do Piauí | Calil Felipe Abrão (PPGHIS/PUC-GO)

  2. A mulher rural do Vale do Jequitinhonha: uma história contada por elas | Túlio Henrique Pinheiro (UFVJM) e Gerfeson Carvalho dos Santos (UFVJM)

  3. A Efeméride Paraense em busca de um lugar: memórias e identidades (re)construídas a partir da data Magna do Pará | Athos Matheus da Silva Guimarães (UFPA) e Clodoaldo Lobo dos Santos (UFPA)

  4. 30 anos de lembranças: trajetórias e memórias das costureiras do bairro do Laranjal em Barcarena/PA | Natália Camila Ferreira de Souza (UFPA)

  5. Do tempo dos pioneiros: Paulo Bezerra Cavalcante e Manoel Carneiro Pinto Filho no início da exibição cinematográfica em Castanhal-PA | Felipe Lopes Soares (SEMED/Curuçá)

  6. Alimentação na Amazônia: história, tradição e abastecimento na região bragantina | Edson Gabriel dos Santos Dias (UFPA)

  7. Práticas musicais nos folguedos de Pastorinha no Pará e mapeamento de manifestações semelhantes no Brasil: estudo exploratório de caráter bibliográfico, etnográfico e documental | Sâmela Cristina de Souza Jorge (UEPA) e Fernando Lacerda Simões Duarte (PPGARTES/UFPA - Pós-Doc.)

  8. A formação do "celeiro da capital": migração e abastecimento na Zona Bragantina no final do século XIX | Khelmeson Stelly Farias Pereira (UFPA)

  9. Associativismo Espanhol na cidade de Belém: redes de sociabilidade e solidariedade (1890-1920) | Aline de Kassia Malcher Lima (PPHIST/UFPA)

  10. "O espirro da morte": a gripe espanhola na cidade de Bragança-Pará (1915-1925) | Silviane de Carvalho Farias (PPLSA/UFPA)

  11. Bragança: urbanização e higienização em tempo de epidemia 1870 a 1902 | Josiel da Luz Silva

  12. No trajeto das águas, sobre o sulco dos rios. Memórias do feminino sagrado na arte afro-amazônica | Glauce Patricia da Silva Santos (PPGARTES)


ST 03 - Histórias, saberes e vivências indígenas: diálogos interdisciplinares e decoloniais

Coordenadores: Prof.ª Dr.ª  Vanderlúcia da Silva Ponte (FAHIST/PPLSA/UFPA) e Prof. M.Sc. José Rondinelle Lima Coelho (SEDUC-PA e PPGAS/UFAM)

Local: Auditório Maria Lúcia Medeiros

Ementa: Este Simpósio Temático visa dar continuidade aos diálogos realizados no ST "História Indígena em Acervos", ocorrido durante a 2ª edição da Semana Nacional de Arquivos em Bragança, e pretende examinar processos ligados à definição contemporânea de políticas indígenas, bem como aquelas de caráter indigenista, com ênfase nas identidades e saberes indígenas a partir de articulações político-administrativas, jurídicas e simbólicas envolvendo o agenciamento de atores situados em diferentes escalas e níveis.

Nas aproximações entre a História e a Antropologia, e outras áreas das Ciências Sociais, novas reflexões acerca dos povos indígenas e de seus agenciamentos ao longo do tempo foram se constituindo e solidificando no espaço acadêmico, acompanhadas pelas articulações do Movimento Indígena no cenário político brasileiro, cujos reflexos também são sentidos na sociedade civil, a exemplo dos direitos assegurados na Constituição Federal de 1988 e da inserção do ensino de História e Cultura Indígena nos currículos da Educação Básica e Superior, através da Lei n.º 11.645/08. Atualmente, as contribuições do debate decolonial latino-americano possibilitam outras imersões na história dos povos ameríndios de Abya Yala e permitem aos pesquisadores, indígenas e não indígenas, (des)construir narrativas e redimensionar trajetórias, vivências e saberes invisibilizados e subalternizados pelo discurso hegemônico colonizador.

Buscamos reunir, assim, pesquisadores/as que estejam desenvolvendo investigações etnográficas sobre grupos indígenas da/na América do Sul; análises histórico-documentais utilizando fontes de arquivos como, por exemplo, o do Serviço de Proteção aos Índios (SPI) ou do Arquivo Histórico Ultramarino (AHU); ou outros estudos que exemplifiquem casos de articulação social, política e simbólica dos povos ameríndios entre espaços sociais locais, nacionais e transfronteiriços em distintas temporalidades. Visamos, com isto, ampliar a compreensão sobre territorialização e seus processos históricos, analisando as perspectivas sócio-políticas intrínsecas aos mesmos, por meio de estudos que versem sobre:

  • Cosmologias e sistemas xamânicos;
  • Políticas, r-existências e agenciamentos indígenas;
  • Gênero e relações intergeracionais;
  • Corpo, saúde e doença;
  • Alteridade, mediações culturais e relações interétnicas;
  • Fronteiras, territórios e territorialidades;
  • Sistemas agrícolas, paisagens e biodiversidade entre povos indígenas;
  • Estética, cultura material e línguas indígenas;
  • Educação, Ensino de História e processos educativos indígenas;
  • Arquivos, coleções etnográficas/arqueológicas e gestão de acervos.
Palavras-chave: História Indígena e do Indigenismo; Interdisciplinaridade; Decolonialidade; Cosmologias ameríndias; Agências e r-existências.

TRABALHOS ACEITOS E ORDEM DE APRESENTAÇÃO

  1. "Das aldeias ao Aldeamento": os índios e o processo de colonização na Capitania do Caeté (séculos XVII - XVIII) | Leonardo Augusto Ramos Silva (SEMED/Bragança)

  2. O Ritual da Menina Moça como recurso político na defesa do território Tenetehar-Tembé | Renata Larissa do Nascimento Farias, Vanderlúcia da Silva Ponte (UFPA) e Thaynã do Socorro Santiago Galvão dos Reis (UFPA)

  3. "Territorialidade em festa": a fabricação do corpo feminino no ritual da menina-moça na Aldeia Sede/TIARG | Maria Madalena dos Santos do Carmo (UFPA) e Vanderlúcia da Silva Ponte (UFPA)

  4. O canto de Eliane Potiguara em Metade cara, metade máscara | Marina Beatrice Ferreira Farias (UFPA)

  5. A formação dos docentes de História e a Lei nº 11.645/2008: mudanças de perspectivas no trato da memória sobre os povos indígenas (2008-2015) | Marcus Vinicius Valente Bararua (PROFHistória/UFPA)

  6. "Nós não estamos nem à frente, nem atrás, estamos lado a lado": o poder das mulheres indígenas Tenetehar-Tembé na defesa do território na Amazônia Brasileira | Thaynã do Socorro Santiago Galvão dos Reis (UFPA) e Vanderlúcia da Silva Ponte (UFPA)

  7. Xamanismo, roupas e afetos entre os Gavião-Ikolen | Fernando Alves da Silva Júnior (PPGL/UFPA)

  8. O SPI no Oiapoque e a nacionalização da fronteira: violências, deslocamentos e agências indígenas entre Brasil e Guiana Francesa (1930-1945) | Benedito Emílio da Silva Ribeiro (UFPA)

  9. Legados sob nossos pés, presença no nosso meio. A longa história do manejo florestal em sítios de Terra Preta no Baixo Tapajós, Brasil | Daiana Travassos Alves (Universidade de Exeter)

  10. O indígena nos desfiles de escolas de samba do grupo especial do Rio de Janeiro (1997-2013) | Lucas Stefano da Costa Amorim

  11. A luta pela terra: violência e resistência indígena entre os Tenetehar-Tembé (1994-1996) | Uarley Iran Peixoto da Silva (UFPA)


ST 04 - Trajetórias, experiências e relações étnico-raciais

Coordenadores: Prof.ª Dr.ª Maria Roseane Corrêa Pinto Lima (FAHIST/PROFHistória/UFPA),  Prof.ª Dr.ª Raquel Amorim dos Santos (FACED/PPLSA/UFPA) e Prof.ª Dr.ª Kátia Barbara da Silva Santos (IFPA/Paragominas)

Local: Sala do PROFMAT (sala 03, Bloco II, térreo)

Ementa: Este Simpósio Temático intenciona reunir trabalhos que investiguem sobre as populações negras/africanas em suas dinâmicas históricas e estratégias socioculturais de sobrevivência, utilizando fontes escritas (inventários, testamentos e escrituras, certidões de batismos, casamentos e óbitos, jornais, revistas, gazetas, relatórios administrativos, etc.) e narrativas orais, além de estudos de caso e investigações etnográficas.

São bem-vindos trabalhos nas áreas de História, Antropologia, Educação, Linguística, Ciências da Religião, entre outras, que analisem trajetórias e experiências de sujeitos e/ou grupos identificados como negros, em diferentes conjunturas históricas, e versem sobre os seguintes temas:

  • Tráfico atlântico e diáspora africana nas Américas; presença negra na Amazônia; cotidiano da escravidão e formas de conquista da liberdade; efeitos do pós-abolição e os mundos do trabalho; mestiçagens e relações afro-indígenas.
  • Arte, estética e culturas africanas e afro-brasileiras; literatura africana em língua portuguesa; religiões de matriz africana: enfrentamento à intolerância; comunidades quilombolas: identidades, saberes e práticas culturais.
  • Intelectualidade negra no Brasil; negritude e pensamento afrocentrado; mulheres negras e descolonização dos corpos; racismo no Brasil: das políticas de branqueamento ao mito da democracia racial.

São aceitos, também, trabalhos que relacionem os pontos expostos ao Ensino de História e às práticas pedagógicas para Educação das Relações Étnico-Raciais.

Palavras-chave: Relações étnico-raciais; História; Memória; Cultura; Identidade.


TRABALHOS ACEITOS E ORDEM DE APRESENTAÇÃO

  1. Cartório de registros de imóveis Antônio Pereira: arquivos sobre as últimas décadas da escravidão em Bragança-PA | Naelly Bianca Alves de Goes (UFPA)

  2. Crianças no cartório: uma análise das crianças negras nas últimas décadas da escravidão em Bragança | Leidison Oliveira Ferreira (UFPA)

  3. A divisão sexual do trabalho na classificação de escravos no Fundo de Emancipação da escravidão bragantina | Adriana Souza Simões Ponçadilha (UNAMA), Paloma Sá Souza Simões (CESUPA) e Ana Paula Vieira e Souza (UFPA)

  4. Escravidão negra em Bragança: cartas e processos de liberdade (1870-1888) | Thaynara Elena Nogeuira da Silva

  5. A influência das fugas de escravos e da formação de quilombos na Cabanagem em Ourém: uma luta de resistência em busca da liberdade | Wesley David Silva do Nascimento (UFPA)

  6. Experiências negras e relações étnico-raciais: a trajetória de pai e filho no processo de emancipação e pós-abolição no Brasil | Helder Lameira de Lima (PPHIST/UFPA)

  7. "Apesar de preto é cidadão": trajetórias de libertos no Grão-Pará (1850-1897) | Marcelo Ferreira Lobo (PPHIST/UFPA)

  8. Tecendo um ideal de liberdade: festejos do abolicionismo em Belém (1881-1888) | Carlos Denizar de Souza Machado (PPHIST/UFPA)

  9. Comunidade da Peroba: história, memória e presença negra em Augusto Corrêa, nordeste paraense | Aline Sabrina Ferreira da Costa (UFPA)

  10. De Pajé a Babalorixá: a trajetória ritual de Ayrton Soeiro e a construção da Tenda Espírita de Umbanda Cabocla Yacira | Rafael Santos Ribeiro (PPGEAA/UFPA)

  11. Pena e maracá: a cultura material da pajelança na região bragantina | Daniel Xavier da Fonseca (SEMED/São Miguel do Guamá)

  12. Religiões afro-brasileiras: cultura, origem e jurisdição (Região Metropolitana de Belém) | Bruna Nachara Ferreira dos Santos (ESMAC), Fernanda Gabriela Oliveira Gavinho (ESMAC) e Gabriel Victor Freitas Felix (ESMAC)

  13. Religião de matriz afro-brasileira: Umbanda, sincretismo religioso e intolerância religiosa na região metropolitana de Belém, Seara de Umbanda Mamãe Oxum: contato etnográfico | Sandra Silvana Nascimento Pinheiro (ESMAC), Victória da Silva Paz (ESMAC) e Rui Jorge Moraes Martins Júnior (ESMAC)

  14. Lugares de memória das culturas negras em Bragança-Pará: experiências com o ensino de história | Tomé Montanaro Ferreira da Silva (PROFHistória/UFPA)


ST 05 - Educação, interculturalidade e diversidade socioambiental

Coordenadores: Prof.ª M.Sc. Marciléia Wanzeler de Souza Vasconcelos (FAHIST/UFPA), Prof. Dr. Francisco Pereira de Oliveira (FACED/PPLSA/UFPA) e Esp. Josaphat Aranha de Vasconcelos Neto (Fórum das Ilhas-Belém)

Local: Sala 06 (Bloco II, 1º andar)

Ementa: Este Simpósio Temático (ST) visa congregar trabalhos de pesquisa, ensaios e relatos de experiências que busquem abordar a educação e os processos de interculturalidade produzido em espaços escolares e não escolares, bem como no ambiente universitário, e que também possibilitem discussões acerca da diversidade socioambiental, tanto na Amazônia quanto para outras realidades regionais. A perspectiva é dialogar nos vários campos dos saberes que abarcam os aspectos sociais e culturais dos povos tradicionais (quilombolas, indígenas, ribeirinhos, camponeses, etc.) e entender as dimensões de luta e agência destes coletivos nas suas relações com o território e a natureza em interface aos processos educativos.

Sabemos que a Educação vislumbra um campo de muitas dificuldades e limitações na inserção desses povos, tanto na Educação Básica quanto no Ensino Superior. Entende-se que no contexto atual, onde a discussão de questões relativas ao campo da justiça, superação das desigualdades de democratização das oportunidades, principalmente no processo de reconhecimento de diferentes grupos socioculturais passou a ser imprescindível, de acordo com Vera Candau (2008). Há uma necessidade de produzir espaços que possibilitem dar visibilidade as vozes destes sujeitos que foram marginalizados e silenciados no curso histórico de nosso país.

Diante desses escopos, as produções acadêmicas sobre os saberes tradicionais devem ser pautas importantes na academia e, sobretudo, na sociedade, com as representações do uso das práticas e do ensino contribuindo para a produção de políticas públicas que tragam impactos positivos para as comunidades tradicionais.

Palavras-chave: Educação; Interculturalidade; Diversidade sociocultural; Relações Homem-Natureza.


TRABALHOS ACEITOS E ORDEM DE APRESENTAÇÃO

  1. A questão agrária nas narrativas escolares: disputas e silêncios nos livros didáticos | Francivaldo Alves Nunes (UFPA) e Athos Matheus da Silva Guimarães (UFPA)

  2. Infâncias entre trabalho educativo e trabalho infantil no contexto de comunidade pesqueira | Marcos Vinicius Sousa de Oliveira (UFPA), Franciele de Almeida Magalhães (UFPA) e Ana Paula Vieira e Souza (UFPA)

  3. Os índios nas histórias em quadrinhos: problemáticas e reflexões para o Ensino de História | Rayana Carolyne Lisboa Pantoja (UFPA)

  4. "Wira'u-haw" como arma na luta cultural e territorial dos Tenetehar-Tembé no nordeste paraense | Marcia do Carmo Sousa (UFPA)

  5. Pajés entre rezadeiras, benzedeiras, parteiras, padres e pastores em duas comunidades tradicionais no Pará | Salete Souza da Silva (UFPA)

  6. Um Cineclube no interior da Amazônia: o uso do audiovisual como prática de aprendizagem histórica | Silvane da Silva e Silva (UFPA) e Érico Silva Alves Muniz (UFPA)

  7. As memórias das mulheres das Ilhas de Belém sobre o uso das sementes e raízes cheirosas: de cheiros populares a aroma sustentável na globalização | João Marcelo Barbosa Dergan (CMA/UFPA)


ST 06 - História, patrimônio cultural, memória e cidade

Coordenadores: Prof. M.Sc. Dário Benedito Rodrigues Nonato da Silva (FAHIST/UFPA e PPHIST/UFPA) e Prof. Esp. Klayton Luiz Campelo Silva (SEDUC-PA e PPLSA/UFPA)

Local: Sala 01 (Bloco II, térreo)

Ementa: O simpósio propõe a acolhida e agregação de investigações em História e outros campos das Humanidades sobre patrimônio, cultura, memória e cidade e a relação dessa produção com a Educação. Pretende-se reunir pesquisadores que desenvolvam trabalhos, atividades e/ou experiências com a preocupação de possibilitar a integração desses trabalhos com as discussões mais atuais sobre Patrimônio Cultural local e regional, a(s) cidade(s), as memórias e suas variadas dimensões. Essas práticas de ação patrimonial se relacionam com a construção de identidades, a partir da cultura, da memória e dos discursos de sujeitos e grupos sociais em diversas temporalidades.

Nos últimos anos, a produção oriunda do Curso de História (UFPA Bragança) vem ampliando uma aproximação com a temática da cidade, seus sujeitos, suas memórias e ocupando um lugar especial no contexto atual da cidade e região, ajudando a entender especificidades e as releituras do Patrimônio Cultural em variadas linguagens (como a arte, a literatura, a música, a arquitetura, etc.) e a problematizar os usos da cidade e das memórias no Ensino de História e na Educação Patrimonial.

A proposta de agregar e debater essas investigações se dá pela necessidade de construção de grupo de estudos e pesquisas que discuta, atue e questione especificamente essa temática no que diz respeito a como cidades, cultura, memórias e patrimônio podem ser objetos de trabalho e se tornem presentes no Ensino de História. A articulação com diferentes pesquisadores pode criar e estabelecer relações, comparações e aglutinação de experiências e formas de pesquisas, práticas educacionais nos lugares da memória na(s) cidade(s) e seus sujeitos sociais e práticas culturais.

Palavras-chave: História; Patrimônio; Memória; Cidade.


TRABALHOS ACEITOS E ORDEM DE APRESENTAÇÃO

  1. Digitalização e informatização de desenhos arquitetônicos: a fonte, o historiador e os impactos para a História Urbana - o caso da série Obras Particulares de São Paulo | Philippe Arthur dos Reis (PPGHIS/UNICAMP)

  2. A importância jesuítica na formação da cidade de Vigia de Nazaré no século XVIII | Cláudia Lorena Barata Cardoso (UFPA)

  3. Um catecismo republicano a céu aberto: o Paço municipal de Marapanim e a construção da memória republicana no interior paraense (1890-1903) Tiago Barros Ferreira (PPHIST/UFPA)

  4. Memória, cidade e migração em "O Retorno" de Dulce Maria Cardoso | Paulo Fernando de Sousa Pereira (PPLSA/UFPA) e Francisco Pereira Smith Júnior (UFPA)

  5. Alguns traços de memórias na Cidade das Mangueiras: a perspectiva histórica e literária na poesia "Belém dos meus encantos" | Bruno Rafael do Amparo Ribeiro (UFPA)

  6. De Castro e Souza: da ascensão ao esquecimento | Esaú Lopes de Abreu

  7. Para a fé e a formação: a obra musical de função religiosa de frei Theodoro Serravalle Carda em fontes recolhidas ao Centro Cultural dos Capuchinhos na cidade do Salvador | Fernando Lacerda Simões Duarte (PPGARTES/UFPA - Pós-Doc.)

  8. A cidade Castanhal: mudança e significação a morte da antiga urbe (1964-1982) | Francisco José de Moura Júnior (UFPA)

  9. O projeto de restauro como ferramenta de resgate da identidade: Complexo Industrial Matarazzo em Antonina-PR | Carolina de Castro Burgos (UNICURITIBA) e Micheline Helen Cot Marcos (UNICURITIBA)

  10. Caripunas, Pariquis, Apinajés e Castelo Branco: história e memória no bairro do Guamá | Layane de Souza Santos (UFPA)

  11. Ensino de história, educação patrimonial e história local: um estudo em Bragança, Pará, no início do século XXI | Janaína do Socorro Pereira da Costa e Dário Benedito Rodrigues Nonato da Silva (UFPA)

  12. Ponte do Sapucaia, mais que uma ponte, uma parte da população bragantina: história e memória | Paulo Nilber Ribeiro da Costa (PPLSA/UFPA), Sueny Gabriele Pires dos Reis (UFPA) e Murilo Matos de Alcantara (UFPA)

  13. A Maçonaria na cidade de Bragança-Pará (século XX): a Loja Conciliação Bragantina | Julianna Vieira dos Santos


ST 07 - Cultura, sociedade e relações de poder na Antiguidade e Medievo

Coordenadores: Prof. Dr. Thiago de Azevedo Porto (FAHIST/UFPA) e Prof.ª Dr.ª Roberta Alexandrina da Silva (PPLSA/UFPA)

Local: Sala 09 (Bloco II, 1º andar)

Ementa: A História Antiga e Medieval tem ganhado espaço significativo nas Universidades brasileiras graças à descoberta da sua importância para a construção daquilo que hoje compreendemos como Civilização Ocidental. Buscar, na interpretação das nossas experiências temporais, fundamentos para nossa ação orientada no presente nos torna singular. Segundo Jörn Rüsen, é nessa capacidade que reside à própria essência da cultura. A consciência histórica é, assim, bem ou mal, condição básica da humanidade. A História é, e foi desde a Antiguidade, nas suas diversas formas, a principal expressão desta relação da humanidade com a experiência temporal. É no mundo antigo, helenístico, que vemos nascer à disciplina histórica, tal como a concebemos, na condição de narrativa - narratio rerum gestarum -, que se relaciona diretamente com a experiência - res gestae. As reflexões recentes sobre o caráter fundamental da história, todavia, têm recuperado as relações da humanidade com o tempo, através das diferentes visões e expectativas em relação ao passado.

Se o mundo antigo é berço da tradição do pensamento histórico que marca o Ocidente, por um lado, ele é também o espaço-tempo de muitas outras expressões da orientação temporal e da consciência histórica: nas listas de governantes mesopotâmicos, nas narrativas pictóricas da hegemonia egípcia, nas diversas mitologias históricas de hebreus e chineses, etc. O mundo medieval herdou, sem dúvida, esse rico passado, e se a crônica e os anais representam de algum modo uma tentativa de continuidade em relação aos moldes helenísticos, as Sagas, as gestae episcoporum, e mesmo as vitae e acta sanctorum representam todo um novo universo das visões do passado e da construção da história nesse período. A História é, afinal, cada vez mais compreendida como a forma pela qual cada época se relaciona com o seu passado.

Partindo dessas reflexões e pensando os desafios de tal perspectiva, os organizadores do Simpósio Temático 07, intitulado Cultura, Sociedade e Relações de Poder na Antiguidade e no Medievo, convidam pesquisadores, acadêmicos e estudantes interessados nos temas relativos à Antiguidade e à Idade Média, em interface com o Ensino de História, a submeter propostas de resumos para comunicação livre neste ST.

Palavras-chave: História Antiga; História Medieval; Sociedade; Relações de poder; Expressões culturais.


TRABALHOS ACEITOS E ORDEM DE APRESENTAÇÃO

  1. Israel entre a Mesopotâmia e o Egito: cultura e mitologia em Gênesis | Danielly de Brito Sousa (UFPA)

  2. O culto de Maria no apócrifo Proto Evangelho de Tiago e na igreja Santa Maria Maggiore na Antiguidade | Eloiane Maria de Sousa Silva (UFPA)

  3. De apostola dos apóstolos a prostituta arrependida: versões sobre Maria Madalena, ícone apostolado feminino no cristianismo primitivo | Mayara Rodrigues Barbosa (UFPA)

  4. O corpo santificado - ensaio sobre a disciplina corporal em Santa Clara de Assis | Arilla Nicolle da Costa (UFPA)

  5. Martírio, castidade e santidade: considerações sobre a presença de mártires do Cristianismo Primitivo na Legenda Áurea | Mônica Cavalcante de Souza (UFPA)

  6. A santidade através da imagem: um estudo do caso das iluminuras de Domingos de Gusmão (séculos XIII e XIV) | Lucas Gabriel Reis Rodrigues (UFPA)

  7. O combate aos Albigenses em Toulouse (século XIII): apontamentos e reflexões sobre a atuação do Bispo Fulco | Silvio Augusto da Silva Ramos Júnior (UFPA)

  8. A fundação da Universidade de Toulouse: as relações entre o papado, as forças locais e os dominicanos | Cássia Luana De Freitas Moreira (UFPA)